Junho tem sido um mês interessante na minha vida. Como contei no post da tatuagem (siiim, se você não viu, eu fiz uma tatuagem <3), esse mês fiz várias coisas que queria há algum tempo, relacionadas pura e simplesmente com meu bem-estar.

Pode parecer só vaidade, e é um pouco, mas esse mês eu “acordei decidida”, mais ou menos isso. Não sei se são os seis meses que faltam pro meu aniversário de 26 anos, e eu quero chegar nele sendo a melhor versão de mim mesma que eu já fui e de estar realmente bem e feliz comigo, se foi uma conjunção cósmica, ou o que foi. Mas tô muito feliz por dizer que estou há 21 dias em uma rotina totalmente nova e MUITO feliz com ela. Hoje é domingo e eu fui pra academia.

In my life

E não me senti horrível por isso, pelo contrário. Eu me senti bem. Dizem que leva 21 dias para uma coisa nova virar um hábito na nossa vida. E agora, enquanto escrevia esse post, percebi que fazia exatamente 21 dias que eu havia me inscrito na academia, melhorado minha alimentação, cuidado mais da minha pele, enfim, todo esse pacote do “melhor versão de mim mesma”.

Eu ainda quero fazer um post só sobre essa minha nova fase (e aproveitar pra falar mais do Blogilates, que eu ainda faço, tô usando pra complementar coisas que sinto falta na academia), mas vou esperar mais um pouquinho, né? Não quero ser a pentelha que não tá nem um mês na academia e dá testemunho de mudança de vida. Mas queria contar pra vocês que isso está acontecendo na minha vida 🙂

Fora isso, tem algumas outras coisas, essas mais pessoais, que estou me dando a chance, e experimentando, e vivendo, que são completamente novas pra mim e às vezes têm sido bom e às vezes têm sido horrível, mas eu prefiro assim, do que não sentir nada, do que ter uma vida plana, sem vivenciar nada de novo, por medo de sentir algo ruim. E tá sendo uma jornada um tanto quanto interessante 😉

Lendo O livro do nosso Clube do Livro! O desse mês é “Orgulho e Preconceito”, da Jane Austen e estou tão feliz por termos escolhido esse! Estou amando demais a história, a maneira com que foi escrito, o panorama cultural… Quer participar do clube? É só pegar pra ler e entrar no nosso grupo do facebook, que já tem 300 pessoas (WHAAAAT?)! Vem, vem, vem!

Assistindo Senhoras e senhores, é oficial: me rendi a Orange is the New Black. Tenho certeza que já escrevi em vários posts aqui ou no twitter que era um seriado que não tinha me pegado, que tinha achado o primeiro episódio chato pra burro e não ia continuar a ver. Pois bem, na semana de estreia da terceira temporada eu fiz uma matéria pro Petiscos sobre a Ruby Rose, nova atriz do seriado, que vai viver a Stella Carlin, e foi amor à primeira vista, haha! Virou minha #girlcrush total, e eu achei a história dela muito legal, e fiquei com vontade de dar outra chance ao seriado. Dei, e estou conquistada. Só não assisti mais (tô no sexto episódio da primeira temporada ainda) porque não tenho tempo, mas amei <3 Obrigada às meninas que ficaram me falando “assiste, assiste”, lá no twitter, hahaha.

Ouvindo Além das playlists que eu fico ouvindo na academia, tenho escutado muito meu ruivinho preferido, Ed Sheeran, que eu fui ao show em São Paulo, não lembro se contei aqui (mas foi em Abril haha!), e foi MARAVILHOSO. Eu fui completamente sozinha, porque tava bem caro e o Dá não é tão fã, e também porque achei que seria interessante fazer uma coisa assim, sozinha. Foi um dos melhores shows da minha vida, fiquei totalmente vidrada, ele é incrível ao vivo, e foi muito especial ouvir ele cantando músicas que me dizem tanto, ali, na minha frente. Quanto ao “assistir a um show sozinha”, recomendo a todo mundo. Aliás, recomendo fazer qualquer coisa sozinha, pelo menos uma vez na vida. Ir ao cinema, sair pra jantar, ir pro parque e sentar e ler um livro… A gente precisa aprender a apreciar e amar a nossa própria companhia <3

Ah, e esse clipe do Ed, de “Photograph”, me arrancou lágrimas. Tão, tão fofinho!

Feliz por Esse momento na minha vida, tudo o que escrevi ali em cima. Eu passei muito tempo da minha vida brigando com a minha autoimagem, sem conseguir gostar totalmente de mim, sem conseguir encontrar muito um caminho que me fizesse me sentir bem na minha própria pele, já falei disso nesse post aqui. E acho que estou encontrando, e parece que as coisas vão ficando mais interessantes, legais, confortáveis. É uma sensação bem boa 🙂

Eu e minha amiga Seane (sigam ela no snap, ela é muito maravilhosa), minha parceira, musa inspiradora, amiga pra todas as horas e conselheira fitness & amorosa <3

Pensando sobre A sorte que é ter ao meu redor tanta gente legal. Sei lá, sou monotemática mesmo, mas eu valorizo demais as pessoas que estão perto de mim, que me deixam fazer parte da vida e da história delas. Eu acho que poder se considerar amiga de alguém é um privilégio, e eu tento valorizar isso o máximo que posso e quero que elas saibam que são especiais pra mim. Hoje eu tenho tanta gente especial por perto que nem acredito. Ninguém é uma ilha, e estar aberto para amar as pessoas que nos fazem bem é provavelmente a melhor escolha que podemos fazer pela nossa vida. Amo vocês demais, amigos!